Fernanda Mululo nutricionista clínica funcional e cirúrgica

O que é Endometriose?

Conheça as causas, os sintomas e o tratamento para Endometriose

Endometriose é uma condição ginecológica comum afetando um estimado de 10 a 15 % das mulheres na idade fértil. O nome desta condição vem da palavra endométrio, que é o tecido que reveste o útero. Durante o ciclo menstrual regular da mulher, o tecido se desenvolve e é liberado se ela não engravida. O tempo de diagnóstico infelizmente ainda varia de 6 a 8 anos.

As mulheres com endometriose desenvolvem o tecido que parece e atua como tecido endometrial fora do útero, geralmente nos outros órgãos reprodutivos dentro da pelve ou na cavidade abdominal.

A cada mês, este tecido mal posicionado responde às mudanças hormonais do ciclo menstrual acumulando-se e rompendo-se simplesmente como o endométrio faz, resultando em pequeno sangramento dentro da pélvis.

Isso leva à inflamação, inchaço e cicatrizes do tecido normal ao redor dos implantes de endometriose. Quando o ovário é envolvido, o sangue pode ficar embutido no tecido normal ovariano, formando uma “bolha de sangue” circundada por um cisto fibroso, denominado endometrioma.

Causas da Endometriose

As causas da endometriose são ainda desconhecidas. Uma teoria sugere que durante a menstruação, parte do tecido sobe pelas trompas de falópio no abdômen, um tipo de “menstruação reversa”, onde se fixa e cresce.

Outra teoria sugere que tecido endometrial pode viajar e se implantar via canais linfáticos ou sanguíneos, similar à maneira que células cancerosas se espalham. Uma terceira teoria sugere que as células em qualquer local podem se transformar em células endometriais.

Endometriose pode também acontecer como resultado de transplante direto, na parede abdominal após uma cesariana, por exemplo. Além disso, parece que certas famílias podem ter fatores genéticos de predisposição para doença.

Onde a Endometriose pode ocorrer?

Os locais mais comuns da endometriose incluem:

· Ovários.
· Trompas de falópio.
· Ligamentos que suportam o útero (ligamentos uterossacros).
· Espaço entre o útero e reto.
· Espaço entre útero e bexiga.
· Superfície externa do útero.
· Revestimento da cavidade pélvica.

O tecido endometrial é encontrado em outros lugares também como:

· Intestino – principalmente reto e sigmoide
· Bexiga.
· Vagina.
· Colo do útero.
· Vulva.
· Cicatrizes de cirurgia abdominal.

Fatores de Risco da Endometriose

Enquanto qualquer mulher possa desenvolver endometriose, as mulheres seguintes parecem estar em um risco maior para a doença:

· Mulheres que têm parente de primeiro grau (mãe, irmã, filha), com a doença.
· Mulheres que estão dando à luz pela primeira vez depois da idade de 30.
· Mulheres com útero anormal.

Sintomas da Endometriose

Os seguintes são os mais comuns para os sintomas, mas cada mulher pode vivenciar sintomas de forma diferente ou algumas podem não exibir quaisquer sintomas no geral. Os sintomas da Endometriose podem incluir:

· Dor, especialmente cólicas menstruais excessivas que podem ser sentidas no abdômen ou parte inferior das costas.
· Dor durante a relação sexual.
· Fluxo menstrual anormal ou intenso.
· Infertilidade.
· Dor ao urinar durante períodos menstruais.
· Movimentos intestinais dolorosos durante períodos menstruais.
· Outros problemas gastrointestinais, como diarreia, constipação e, ou náusea.
· Fadiga, cansaço;
· Dor nas perna e na região nervo ciático;

É importante notar que a quantidade de dor que uma mulher vivencia não é necessariamente relacionada com a gravidade da doença. Algumas mulheres com endometriose severa podem não ter dor, enquanto outras com uma forma mais leve da doença podem ter dor severa ou outros sintomas.

Relação da Endometriose com Infertilidade

A endometriose é considerada uma das 3 principais causas de infertilidade feminina. Segundo American Society for Reproductive Medicine, endometriose pode ser encontrada em 24 a 50 % das mulheres que vivenciam infertilidade.

Nos casos leves a moderados, a infertilidade pode ser temporária. Nestes casos, a cirurgia para remover aderências, cistos e tecido cicatricial pode restaurar fertilidade. Em outros casos, uma porcentagem muito pequena, mulheres podem permanecer inférteis.

Como a endometriose afeta a fertilidade não é claramente entendido. É considerado que o tecido cicatricial da endometriose pode prejudicar a liberação do óvulo do ovários e captação subsequente pela trompa de falópio (anatomia modificada).

Outros mecanismos pensados a afetar a fertilidade incluem mudanças no ambiente pélvico que resulta em implantação prejudicada do óvulo fertilizado, ambiente inflamatório que não favorece a fertilidade e implantação, estresse oxidativo também poderia ser uma das causas, as mudanças hormonais (ambiente estrogênico) e presença de disbiose útero, vaginal e intestinal.

Diagnóstico da Endometriose

Para muitas mulheres, simplesmente ter um diagnóstico de endometriose traz alívio. O diagnóstico começa com um ginecologista ou outro profissional da saúde avaliando o histórico médico da paciente e completando um exame físico, incluindo exame pélvico.

Um diagnóstico de endometriose pode apenas ser seguro, embora, quando o médico realiza uma laparoscopia, faz a biópsia de qualquer tecido suspeito e o diagnóstico é confirmado pelo exame do tecido sob um microscópio, porém na prática os exames de imagem e avaliação clínica e exame físico são ótimos para bom diagnóstico.

Os exames que podem ser usados no diagnóstico de endometriose incluem:

· Ultrassom com preparo intestinal: uma técnica de diagnóstico por imagem que usa ondas sonoras de alta frequência para criar uma imagem dos órgãos internos.

· Exame de ressonância magnética: um procedimento não invasivo que produz uma visão bidimensional de um órgão interno ou estrutura, pélvica, abdominal e tórax (para avaliação endometriose parte superior);

Estágios da Endometriose

Um sistema de estágio ou classificação para o que é endometriose foi desenvolvido por American Society of Reproductive Medicine. Os estágios são classificados como segue:

· Estágio 1: mínimo.
· Estágio 2: leve.
· Estágio 3: moderado.
· Estágio 4: severo.

O estágio da endometriose é baseado no local, quantidade, profundidade e tamanho do tecido endometrial. O critério específico inclui:

· A extensão da propagação do tecido.
· O envolvimento das estruturas pélvicas na doença.
· Extensão das aderências pélvicas.
· Bloqueio das trompas de falópio.

O estágio da endometriose não necessariamente reflete o nível de dor vivenciada, risco de infertilidade ou sintomas presentes. Por exemplo, é possível para uma mulher no estágio 1 apresentar dor intensa, enquanto uma mulher em estágio 4 possa ser assintomática.

Opções de Tratamento para Endometriose

O tratamento específico para endometriose vai ser determinado pelo médico com base em:

· Saúde geral e histórico médico.
· Sintomas atuais.
· Extensão da doença.
· Tolerância para remédios específicos, procedimentos ou terapias.
· Expectativas para o curso da doença.
· Opinião ou preferência da paciente.
· Desejo da paciente para gravidez.
· Estilo de vida.

Se sintomas são leves, os médicos geralmente concordam que nenhum tratamento adicional, além de analgésicos, seja necessário. No geral, tratamento para endometriose pode incluir:

· Atenção vigilante para observar o curso da doença.
· Analgésico: antiinflamatórios não esteróides, como ibuprofeno ou outros analgésicos
· Terapia hormonal, incluindo contraceptivos orais, progestágenos sozinhos, agonista do hormônio liberador de gonadotrofina, e danazol.
· Atualmente a medicina sabe como um estilo de vida saudável e orgânico tem influência no tratamento da endometriose como na manutenção da qualidade de vida.

Técnicas cirúrgicas que podem ser usadas para tratar endometriose incluem:

· Videolaparoscopia (também usada para ajudar a diagnosticar endometriose): um procedimento cirúrgico pequeno em que um laparoscópio, um tubo fino com uma lente e luz, é inserido em uma incisão na parede abdominal. Usando o laparoscópio para ver na área pélvica, o médico pode muitas vezes remover os crescimentos endometriais.
· Laparotomia: uma cirurgia mais extensa é aberta para remover o máximo possível do endométrio deslocado sem danificar o tecido saudável.
· Cirurgia Robótica – que é uma evolução da videolaparoscopia, procedimento minimamente invasivo. Enquanto na videolaparoscopia o cirurgião precisa segurar as pinças, na cirurgia robótica ele comanda os instrumentos remotamente;

Aliviando a Dor da Endometriose com medidas caseiras

Dicas simples que podem ajudar a aliviar a dor da endometriose incluem:

· Descansar, relaxar e meditar.
· Tomar banhos mornos.
· Prevenir constipação e tratar saúde intestinal.
· Exercitar-se regularmente.
· Usar uma garrafa de água quente ou almofada de aquecimento no abdômen. até mesmo com ervas calmantes;
· Aromaterapia;
· Escaldas pés com ervas calmantes;
· Medicina tradicional chinesa.
· Abordagens nutricionais.- dieta antiinflamatoria;
· Homeopatia.
· Yoga;
· Acupultura;

É importante discutir minuciosamente qualquer destes tratamentos ou todos com o equipe de acompanhamento, para melhor eficiência.

Dicas para Viver Bem com Endometriose

Endometriose pode ser uma condição desafiadora para lidar, fisicamente e emocionalmente. Mas passos simples podem ser tomados que permitem combater a dor associada da endometriose e melhorar a qualidade de vida da paciente. São apresentadas algumas das melhores maneiras para lidar com endometriose.

Atenção com a Dieta

Consumir os alimentos corretos pode oferecer alguma proteção contra endometriose. O papel da dieta na endometriose foi investigado em anos recentes devido à influência da dieta em alguns dos processos associados com a doença, como inflamação, metabolismo da prostaglandina (participa na cascata da inflamação), e atividade do estrogênio. Pesticidas e inseticidas que podem ser ingeridos através de certos alimentos foram sugeridos como um fator de risco para endometriose, assim como baixo consumo de frutas e vegetais e alto consumo de gordura trans.

Aumentar Ingestão de Frutas e Legumes

Pesquisas sugerem uma ligação direta entre dietas que são pobres em frutas e legumes e ricas em carne vermelha e o desenvolvimento da endometriose. Uma ingestão maior de fruta fresca e legumes verdes reduziu o risco relativo de endometriose em 40 %, enquanto um consumo alto de carne vermelha, e presunto aumentou o risco relativo por em torno de 80 a 100%.

Especialistas sugerem que o teor alto de gordura em carnes vermelhas encoraja a produção de substâncias químicas chamadas de prostaglandinas no corpo, que pode resultar em mais inflamação, associada ao aumento de substâncias que poderiam causar desregulação dos níveis de estrogênio produzido pelo corpo.

Poderiam assim ser estes níveis mais altos de estrogênio que causa crescimento excessivo de tecido endometrial. Assim, melhorar a quantidade de frutas e legumes na dieta e reduzir a ingestão de carne vermelha poderia ter um impacto positivo na saúde.

Melhorar a Ingestão de Ácidos Graxos Ômega 3

Pesquisadores também descobriram que o tipo de gordura incluída na dieta faz diferença no risco de endometriose. Um estudo mostrou que pessoas cuja a dieta era rica em gorduras trans aumentam seu risco de endometriose em 48 % quando comparado com pessoas que comeram menos destes.

Em comparação, mulheres com dieta era rica em ácido graxo ômega 3 reduziram seu risco de endometriose em 22 % comparado com aquelas que consumiram menos quantidade. Comer alimento rico em ácidos graxos ômega 3, como salmão, linhaça, noz, chia, sardinha, atum pode ser útil para endometriose.

Exercitar-se regularmente é importante

Muitas vezes, as pessoas que vivenciam dor temem o exercício, no caso que gera mais problemas para elas. Mas ao longo do tempo, a atividade física regular pode reduzir a dor e desconforto que sente.

O exercício pode ajudar aquelas com endometriose de muitas formas, incluindo:

· Encorajar a circulação do sangue para os órgãos.
· Manter nutrientes e fluxo de oxigênio para todos os sistemas corporais.
· Reduzindo a produção de estrogênio.
· Reduzir estresse.
· Liberar endorfinas no cérebro, que são substâncias químicas de alívio da dor, de bem-estar.

As mulheres que regularmente se exercitam são menos prováveis de desenvolver endometriose. Além disso, aquelas que fazem atividade física frequente de alta intensidade são em torno de 75 % menos prováveis de desenvolver endometriose que mulheres que não participam em atividade regular extenuante.

A atividade física de alta intensidade, como corrida, natação, e bicicleta, pode ser benéfica para reduzir os sintomas. O exercício de baixa intensidade, incluindo Yoga, pode oferecer algum alívio na endometriose, também. Ioga pode alongar e fortalecer os músculos, que pode ser benéfico para controle de dor pélvica e redução de estresse, já que trabalha a saúde mental também.

Controlar Níveis de Estresse

A endometriose poderia contribuir para aumentar níveis de estresse por causa do impacto que sintomas dolorosos têm sobre todos os aspectos da vida, incluindo família e relacionamentos pessoais e trabalho. Não apenas pode o estresse ser exacerbado por endometriose, mas podem os sintomas de endometriose serem exacerbados pelo estresse, em um ciclo sem fim.

Pode tentar controlar o estresse por usar técnicas de relaxamento. Estas podem ajudar a aumentar a consciência do corpo, focar em algo tranquilo, e diminuir atividade de hormônios do estresse.

Experimentar Terapias Alternativas

Dito isso, algumas mulheres encontram alívio do sintoma a partir de usar uma gama de opções diferentes alternativas e complementares. Em destaque a acupuntura, tratamento osteopático manipulador, fitoterapia chinesa, suplementos de vitaminas e dietéticos, tratamento psicológico., hoje em dia sabe-se que associação das terapias complementares para tratamento da endometriose são essencial para conquistar qualidade de vida e saúde.

O médico pode oferecer uma lista de opções de tratamento para endometriose e destacar os riscos e benefícios de cada um. Vão considerar a idade da paciente, sintomas, se deseja engravidar, e quais tratamentos teve antes.